"Você é o que escolhe ser. Escolha o amor." Isha

segunda-feira, 14 de novembro de 2011

Use os defeitos do ex para amar-se mais



Você me diz que vê o seu ex com muitos defeitos e me pergunta se estão em você. Sim, algo disso, se lhe incomoda, se lhe levou a que seja seu ex, está em você.

Você tem que ir para dentro e encontrar isso que sente que está mau, essa superioridade que lhe leva a julgar-lo como mau, e começar a se apossar disso e soltar os julgamentos. Isso não quer dizer que você quer ficar com essa pessoa, não quer dizer que você tem que estar com essa pessoa, mas é necessário curar o julgamento. Isso é curar a você mesma. Se você está me perguntando, me indica que está pronta para um passo a mais de responsabilidade. Claro que você pode ver aspectos no outro, pode fazer observações, mas se há julgamentos, se há uma carga e isso transforma a essa pessoa em menos, então isso está dentro de você. Onde quer que haja uma carga no seu sentir, pode estar certa que isso está em você. Já não é uma observação, senão uma proteção. Então, move tudo o que sente com isso até que reste apenas amor. Senão você criará seu ex em todas as partes!

Todos buscamos o amor incondicional, mas em realidade temos medo dele, preferimos apontar para fora aquelas coisas que não gostamos e nos fazem sentir mal. Escolhemos relações cheias de manipulações e frustrações porque temos a ideia de que podemos ser abandonados.
Dizemos: “Oh, melhor não amar intensamente porque me lembro de uma vez que me feriram”, e recordamos todas as frustrações de nossa infância. Para mim era meu medo do abandono, que vinha da crença de que minha mãe natural tinha me abandonado. Eu sempre estava fugindo do amor porque pensava que não o merecia. E esses sulcos de separação que criamos para poder ter nossa experiência humana nos fazem buscar o amor fora e isso é sempre frustrante. Pensamos que não merecemos amor, que não podemos confiar nele. Pensamos que temos que nos proteger dele porque nos faz vulneráveis. Sempre estamos nos protegendo. Mas o amor real – o amor incondicional – está dentro e se encontra no ser, em simplesmente estar com nós mesmos. E para nós é uma das coisas mais difíceis de fazer porque nosso intelecto nos diz que nosso amor e nossa satisfação estão fora.

O amor verdadeiro simplesmente dá, e dá sem expectativas. Carece de ressentimento. Não tem um preço, não tem controle. Mas tem que vir do ser. Você tem que brindar esse amor a você mesma antes de poder brindá-lo a outros. Não importa o agradável que seja como pessoa, é impossível que ame alguém incondicionalmente enquanto não ama a você mesma incondicionalmente.

Eu costumava ser uma “boa pessoa espiritual”, e costumava abandonar-me em tudo tratando de amar a todo mundo. Mas a mim mesma, eu não amava. Assim é que quando comecei a curar-me e vi o que estive fazendo, chorei. Realmente fiquei impactada do tanto que havia me machucado. Tinha sido a boa com todo mundo e o tanto que feri a mim mesma. E todos temos a tendência de fazer isso, especialmente as mulheres. Mas os homens também o fazem. E o único que necessitamos é ver isso, e sermos amorosos conosco.

O amor condicional nunca pode estar à altura do amor que habita permanentemente em seu coração. Assim que volta ao seu coração, instale-se nesse amor, e deixe que esse amor verdadeiro se mova para fora, sem medo.

Isha compartilha estes discursos no centro La I Uruguai e La I México.

Texto traduzido por Fabiana Simões

Nenhum comentário:

Postar um comentário