"Você é o que escolhe ser. Escolha o amor." Isha

segunda-feira, 25 de abril de 2011

GERALDO RODRIGUES - CONTANDO SUA EXPERIÊNCIA EM LA I


Oi queridos! Faz uma semana que voltei de La I no Uruguai para São Paulo e ainda está muito fresco na minha experiência tudo que vivi por lá. Foi um processo muito transformador e muito rico e quero compartilhar ao máximo com todos vocês. Não tinha escrito nada até agora porque levei essa semana colocando em ordem conta de banco, computador, celular e até a cama e o armário do meu quarto. Assim, compartilho um texto que escrevi agora no fim desse processo, quase voltando para o Brasil. Se gostarem, mandem para seus amigos, parentes, vizinhos, colegas de trabalho, enfim, para as pessoas que vocês quiserem! Um abraço forte! Geraldo

APRECIAR
Esse texto surgiu de uma ficha que caiu agora, quando estava voltando ao Brasil e decidi compartilhar aqui. Não é novidade que somos o que somos em nossas vidas pelos hábitos que aprendemos até este momento. Tudo pelo que passamos, de alguma forma, está gravado em nossa programação mental e nos faz reagir às diferentes situações que enfrentamos de uma maneira pré-determinada. A novidade é que a cada instante temos uma oportunidade nova para mudar estes hábitos e esse processo é como uma ginástica: quanto mais você insiste, mais você obtém em retorno. Um dos hábitos que normalmente adquirimos é o de nos criticarmos. Houve um dia em que quebramos um vaso, fizemos xixi na cama ou bagunça na sala de aula e o papai, a mamãe ou a professora nos mandaram à merda, com todo o respeito. E isso pode ter acontecido muitas e muitas vezes, a depender de como estava o humor do papai, da mamãe ou da professora. A sensação de medo que vivemos aí nos leva a nos sentirmos em dúvida, a nos castigarmos e a crer que não somos bons o suficiente e que há algum defeito conosco. E quanto mais repetimos isso, mais acreditamos. E o oposto também é natural: quanto mais nos apreciamos, mais confiamos em nosso próprio valor e a cada pequeno passo ou escolha que tomamos, valorizamos tudo aquilo que estamos fazendo. A pergunta é: Como passo de me criticar a me apreciar? A resposta é: Fazendo. Observando essa voz em sua mente que te diz "NÃO!" e passando a dizer "SIM!" em cada pequena coisa, em cada iniciativa. E escutando as pessoas ao seu redor reagiram a como você está se valorizando. No processo de expansão da consciência que vivi em La I, comecei um exercício muito simples e muito eficaz: todos os dias, assim que acordo, escrevo sete qualidades que aprecio em mim mesmo. E tudo aquilo que as pessoas ao meu redor (meu universo) me dizem, também conta e no dia seguinte escrevo igualmente. Se você está lendo esse texto, eu suponho que é alguém curioso, atento e disponível e que está aberto a novas influências. Já são algumas qualidades que pode apreciar sobre você mesmo, assim, para amanhã, só faltam mais três para que você complete sua lista. Pode acontecer que no princípio pareçamuito artificial e soe falso escutar ou escrever uma qualidade sua. Também, com tanto tempo alimentando sempre a crítica, o músculo da apreciação está fraquinho, mas como escrevi antes, quanto mais você insiste, mais esse músculo vai crescer. Outro hábito comum é que não sabemos como receber um elogio. Nossa mente responde automaticamente "Não é para tanto" ou "Só está querendo me agradar". Uma forma de romper com esse hábito é sorrir imediatamente e sentir esse pequeno, ou grande, incômodo por se sentir apreciado. E repetir esse novo hábito fará com que você se abra mais e mais a receber o carinho e a energia de alguém que te aprecia. A outra forma que conheço para aprender a apreciar-se a si mesmo, é começar a apreciar os demais. Obviamento todos podemos ver o que está "mal" ou "errado" com nossa família ou amigos, mas mais além dessa parte superficial, são seres humanos à procura de evolução e muito provavelmente tem muitas qualidades a serem apreciadas. Então, quando estiver a ponto de criticar seus pais, filhos, amigos ou companheiros de trabalho, encontre alguma qualidade que possa apreciar neles. E diga o quanto te inspira isso que encontrou. Experimente e veja como se sente. Certamente te fará muito bem e te ajudará a receber quando alguém te fizer um elogio. E por fim, comece a apreciar aquilo que pensa que são defeitos seus: a teimosia se transforma em persistência e força de vontade; a tagarelice é sua capacidade de comunicação; a vontade de mudar o mundo se transforma em paixão e você termina por mudar o mundo quando muda a única pessoa que pode mudar: você. http://www.geraldorodrigues.wordpress.com/


Obrigada Gera por suas palavras inspiradoras!

Nenhum comentário:

Postar um comentário