"Você é o que escolhe ser. Escolha o amor." Isha

terça-feira, 31 de maio de 2011

MÃES, ESCOLHAM AMOR PARA CRESCER

As mães de hoje se veêm confrontadas com um desafio múltiplo, cada vez mais extenso. Sua profissão ou atividade profissional competitiva, os filhos, a família e o mais importante: o aumento das inseguranças, os medos que se sentem magnificados, as incertezas, as perdas, as crises, etc, que afetam todos os âmbitos e relações , especialmente a relação consigo mesma, cuja expressão se dá em sua auto-estima, nos estados anímico ou saúde emocional.
Tendemos a classificar a boa ou a má mãe, mas somente existe este ser humano com função mãe entre outras, que está fazendo o melhor que pode fazer a cada momento. Eu creio no coração puro das pessoas com uma boa intenção, que posteriormente manifestam suas limitações e seu controle, porque estão com medo. Então o que eu sugiro a todas as mulheres, sejam mães ou não, é focar-se em si mesmas, em aprender a amarem-se incondicionalmente, pois assim, poderão amar a todos, filhos, companheiro, todos, sem sentirem nem exigidas, nem esgotadas e poderão descobrir uma fonte inesgotável de bem-estar, saúde, paz, alegria e amor.
Essa fonte está dentro de si mesma e isto é o que ensino, através da prática do sistema Isha começamos a eliminar as pegadas do medo e a expandir o amor dentro.
As mães se esforçam por dar, dar, dar a todos e elas ficam por último. Ao longo da história, temos recebido os comentários que se uma mães se ocupa de si mesma, é egoísta, mas realmente, honestamente, é assim? Como podemos esperar ter o necessário para dar a outros, se não temos para dar a nós mesmas? Todas sabemos internamente o que significa isto, eu sempre dava a todos ao meu redor, cuidava de todos, e terminava esgotada e com um ressentimento silêncioso que crescia até que transbordava. Todas entendem do que eu estou falando, não é verdade?
Pois o poder de mudar e tomar as decisões de acordo com o que necessitamos a cada momento está dentro de cada um de nós, não se perde nada em experimentar novas respostas, escolher de maneira diferente. As opções que temos são normalmente duas, escolher à partir do medo ou do amor, e como sempre digo: "somos o que escolhemos, escolham o amor".
Falando de forma prática, para que as mães se sintam melhores em sua relação consigo mesmas e na relação com os demais, seguramente terão que abraçar as mudanças, se estão sempre criticando-se ou criticando, começar a apreciar-se e a apreciar o ambiente, cada detalhe, se estão queixando-se, começar a agradecer pela coisa mais insignificante e pequena.
Você terá tudo a seu favor, se você se propõe a mudar, crescer, aprender a fluir em cada momento com o que a vida te trás. Não se pode controlar a vida, então nossa opção é crescer, expandir nossa consciência, aprender a amar-nos incondicionalmente e melhorar nossa qualidade de vida interna e externa, então a vida se torna um descobrimento, uma aventura a ser vivida, é deixar-se surpreender e estar presente a cada momento com o que é.
A mãe é uma mulher respondendo em diferentes oportunidades, a diferentes necessidades, se ela se foca em crescer, expandir sua consciência, em ser mais amor e viver esta liberdade, confiança, alegria e paz que essa expansão de sua consciência trás, sua expressão em diferentes áreas terá essa cor, esse aroma, compartilhará em cada momento sendo mais, seu ser brilhando em sua excelência. Desta forma criará uma maravilhosa vida, sendo mulher, um ser humao cada vez mais pleno. E sua prioridade interna deve ser estar em contato consigo mesma, seu sentir, sua expressão, compartilhando sempre sua verdade, sendo transparente e não transigindo com o custo do auto-abandono, mas dizendo exatamente o que sente, em cada momento e assim, criará exatamente isto e se sentirá bem consigo mesma e com seu ambiente.
Também como mãe, estará dando um exemplo de ser para seus filhos, de impecabilidade, de verdade, de sensibilidade, de ética e valores que são sua ação, de honestidade, da força que trás a vulnerabilidade, de amor, de alegria e sobretudo de paz consigo mesma, que inspirará a quem a rodeia.
A mãe, sendo um ser humano consciente, momento a momento, focada em seu coração, expandindo sua consciência, escolhendo o amor, sendo sensível, natural, sem máscara de forte, e esta é a presença da autoridade, não necessita ser uma imagem, é uma energia que se irradia de forma natural, que não tem medo e nem inspira medo, mas que se respeita e é respeitada de forma natural. A autoridade que irradia o amor , que se entrega a tudo e respeita. O mais importante é que esteja conectada consigo mesma e que se desfaça da fantasia, que não seja para que os outros lhe dêem, que não seja para ter algo para se agarrar (o filho), mas que tenha tanto amor em si que sobra para poder compartilhar. Senão, se transforma nestas situações esgotantes, pois havia imaturidade emocional. A mulher tem que poder e saber nutrir esta menina que está dentro e quando tenha que nutrir o filho no externo, será desde o amor e fluirá sem dúvida.
Tudo que tenho compartilhado com as mães, é válido para os pais, com o acréscimo de que terá que aprender a fluir com o dia a dia da trasformação física e emocional da mãe , momento em que terá uma grande oportunidade para compartilhar com ela a abundância de seu amor. E se neste momento o pai sente que não pode, é uma grande oportunidade para crescer neste aspecto, descobrir-se, ser mais e amadurecer, não mais menino, mas homem sensível, vulnerável, pro-ativo e todas as suas qualidades de ser.
E neste processo de transformar-se em mãe e em pai, de abrigar o crescimento deste novo ser chegando, sua sensibilidade, sua transformação inevitavelmente vai inspirando todos a seu redor a fluir e mudar também. Se tem transmitido através dos anos supertições e medos a mãe, que vão passando de geração a geração, perpetuando medos que talvez não sejam realidade de forma alguma. Hoje em dia, a tecnologia tão avançada , dá um opoio muito grande a futura mamãe e sua família e membros ao redor podem então atualizar-se e crescer , transformando a experiência da gravidez e a chegada do novo ser em uma grande celebração individual e coletiva. Um novo ser chegou vibrando amor incondicional, a liberdade absoluta e livre do medo, para nos dar o presente da plenitude, para os adultos recordarem aquilo que nosso coração sabe e criar desde uma experiência adulta, um mundo em paz , em celebração e amor, respeitando essa inocência verdadeira.


*ISHA, autora de “Por que caminhar se você pode voar?” (livro e filme)
Texto traduzido por Maria Valéria Guimarães

Nenhum comentário:

Postar um comentário